INFORMAÇÕES

uva vinho cacau choco

A combinação de vinho e chocolate é excelente para as funções cerebrais. Os dois produtos são ricos em polifenóis, que ajudam a aumentar a circulação de sangue no cérebro, favorecendo a velocidade de raciocínio.

Mas antes de sair misturando os dois produtos, saiba que suas complexidades exigem combinações mais trabalhadas. Por exemplo, um chocolate mais doce, pode “brigar” com um vinho tinto seco.

Confira as dicas de harmonização:

  • Chocolate ao leite: indica-se um vinho doce para acompanhá-lo, como o vinho do porto. Assim, nenhum sabor se sobressai ou anula o outro;
  • Chocolate meio-amargo: com 50% de cacau são de fácil combinação e podem ser acompanhados com diversos tipos de tintos, sejam eles jovens ou encorpados. Boas dicas são o cabernet sauvignon, shiraz e merlot;
  • Chocolate amargo: com mais de 70% de cacau, uma dica é optar por rótulos tintos secos sem passagem por madeira, como os merlots jovens. Acima deste percentual, vale escolher a bebida com leve passagem por madeira, como cabernet e merlot;
  • Chocolate branco: pode ser combinado com vinho branco ou tinto. Uma dica é escolher rótulos com fermentação malolática, que dá um toque amanteigado à bebida e ajuda a harmonizar com o doce

 


 

Chocolate – Dicas de como degustar e como combinar com bebidas

Por Marcelo Copello
O chocolate tem mais de 5 mil anos de história. É originário da América, onde era preparado em forma líquida pelas civilizações pré-colombianas. Foi levado para a Europa pelo navegador espanhol Cortez em 1528 e tornou-se popular como bebida. O formato em barra, como é mais conhecido hoje, surgiu em 1847, na Inglaterra.
O aspecto mais sedutor desta jóia marrom é sua textura. A manteiga de cacau derrete exatamente à temperatura do corpo humano, o que confere a esta apetitosa comida uma sensação luxuriante quando em contato com a boca. Sem mencionar os efeitos de diversos de seus componentes, como a capacidade de estimular a produção de serotonina, neurotransmissor que provoca sensação de bem-estar.

Como degustar um bom chocolate
Morda um pedaço pequeno e deixe-o desmanchar lentamente na língua. Se for de qualidade, irá dissolver-se de modo uniforme. Seu tato ao derreter deve ser cremoso, liso como o cetim e macio como o veludo. Evite os pastosos, grudentos ou granulosos. A presença de arenosidade é indicação de que demasiado açúcar foi usado. Seu paladar deve ser equilibrado em sua doçura e amargor, e o final longo, agradável e sem deixar gosto de nenhum tipo de química. Aromas comuns em bons exemplares são: nozes, caramelo, terra, fumaça, chá, manteiga, baunilha (o mais típico) e especiarias, além de algumas frutas e flores. Falo do produto puro, sem contar com os possíveis sabores adicionados à ele.

Vinho & chocolate
Adianto que os piores chocolates e que realmente são difíceis de combinar com vinho são o chocolate branco e o chocolate ao leite – estes contém muita gordura e açúcar e pouco cacau.
O ideal é usar chocolates com menos gordura, menos açúcar e com um teor maior de cacau, entre 40% e 80%. Vou dar algumas dicas de que vinhos combinar com chocolates:
1-O mais fácil de combinar com chocolate são os tintos fortificados como o Vinho do Porto. Para estes o ideal são chocolates de teores de cacau alto, entre 60% e 80%, que podem ser puros ou com nozes, avelas ou castanhas, ou com café. E o
Banyuls? Este fortificado doce do sul da França é sempre lembrado quando o assunto é chocolate, mas eu pessoalmente nunca provei um Banyuls tão bom quanto um bom Vinho do Porto.
2-Os vinhos brancos de sobremesa, doces, do tipo Late Harvest ou Sauternes vão muito bem também. Para estes o ideal são chocolates não tão amargos, entre 40% e 60%, puros ou com frutas cristalizadas, como laranjas.
3-Com vinhos tintos secos não é tão fácil, mas é possível e pode ficar ótimo! É preciso um tinto mais tânico, como um Tannat, um Petit Verdot ou um Cabernet Sauvignon mais jovem e nervoso. Para estes o chocolate não deve ser tão amargo, entre 40 e 60%, puros ou com frutas secas, negras ou vermelhas, como ameixas secas.

Outras bebidas & chocolate
Outras bebidas também se prestam muito bem a este casamento delicado e podem combinar bem com os chocolates que não vão bem com o vinho, de teores de cacau muito baixo (menos de 40%) ou muito alto (acima de 80%).
Para os chocolates ao leite ou chocolate branco, recomento licores de frutas, como Cointreau, Grand Marnier, Amareto, Frangelico; destilados, como os whisky, bourbon, cognac e armagnac podem ser ótimas opções para vários tipos de chocolate, especialmente os muito amargos, acima de 80%. Para quem gosta de chá, um chá preto puro, pode ficar ótimo com chocolates de teores intermediários (50-70%)
Por fim, a bebida que talvez proporcione o casório mais harmonioso: o CAFÉ, por ser a única que consegue superar o chocolate em amargor, evidenciando, assim, outras qualidades do alimento. Além disso, a temperatura da moca fumegante aquece o palato e facilita o derretimento do doce.
A combinação mais advanced e espetacular seria um expresso bem curto e puro com uma barra de chocolate 100%. É de dar água na boca!
Fonte: Veja Rio

download


BENEFÍCIOS DO VINHO

 Que a verdade seja dita, vinho é uma bebida alcoólica, e como tal tem seus riscos. Mas também traz muitos benefícios à saúde (quando consumido da maneira e na quantidade correta).

1. Um escudo natural
Um escudo natural, é isso o que o vinho faz no organismo. Segundo pesquisas da Sociedade Europeia de Cardiologia, basta uma taça diária para diminuir em pelo menos 11% o risco de infecção por bactérias que causa uma série de doenças, como úlceras, gastrites, infecções e muitos tipos de câncer. Isso sem falar que o vinho é o único que não afeta o sistema imune!
Isso só para começar a listinha… Está bom ou quer mais?

2. Boa nova para os ossos e veias: adeus dorzinhas, adeus varizes
Cansado daquelas dorzinhas nas “juntas”? Cansada de desentupir as veias todos os anos? Duas taças de vinho tinto por dia, eis a solução. De acordo com estudos de universidades americanas e suecas, beber moderadamente, principalmente em idades mais maduras (a partir dos 40), fortalece os ossos, veias e artérias, prevenindo muitos problemas que podem surgir no futuro (como osteoporose e varizes).

3. Grávidas à vista
Muitos casais talvez nunca tiveram este problema, mas às vezes, engravidar não é assim tão simples. Isso se deve a uma série de características do organismo feminino que podem fazer uma gravidez demorar até um ou dois anos para chegar. Do mesmo jeito que não se sabe por que isso acontece, o Centro de Ciência Epidemiológica Dinamarquês, após um levantamento enorme, constatou que beber vinho regularmente diminuiu quase um terço do tempo de espera entre 30 mil mulheres estudadas.

4. Engorda ou não engorda?
Talvez o ponto mais polêmico de todos… Afinal, vinho engorda ou não? A resposta pode parecer triste, mas engorda, sim. Mas também, tudo na vida engorda, só água e chá verde que não (e olhe lá!).
Mas fique tranquilo, há mais pontos positivos do que negativos nisso tudo. Dentre todas as bebidas alcoólicas, o vinho é que tem menos calorias, se bebido moderadamente, claro. E considerando a dosagem. Por exemplo, se comparar um copo de cerveja com a mesma quantidade de vinho, o vinho será mais calórico. Isto porque o teor alcoólico dele é mais alto. Por outro lado, se comparar a mesma dosagem de vinho e destilado, o destilado será mais calórico.
Além disso, é a bebida que menos se transforma em gorduras localizadas – aquela “barriguinha de chope” não é perigo. Um estudo dos epidemiologistas da University of Buffalo relata que os que haviam consumido vinho nos últimos 30 dias, apresentavam menor tamanho abdominal. E para fechar com chave de ouro, o teor alcoólico do vinho – nem tão baixo quanto o de uma cerveja, nem tão alto quanto dos destilados – encoraja o corpo a queimar calorias por até 90 minutos depois de beber!
O que engorda no vinho é, na verdade, o açúcar que não se transforma em álcool durante a fermentação (chamado de açúcar residual). Os vinhos de sobremesa, é claro, saem em disparada quando o assunto é esse tal açúcar, seguido pelos espumantes Moscatel. Ah, isso sem falar nos espumantes demi-sec e doux, que são mais açucarados que os brut, extra-brut e nature.
Apesar disso, alguns vinhos secos também entram na lista – White Zinfandel, Riesling, Merlot, Malbec, Cabernet Sauvignon e Carménère – isso porque produzem mais açúcar e álcool. Por outro lado, Sauvignon Blanc, Gros Manseng e Pinot Noir vêm para, literalmente, equilibrar a balança!

5. Calma, menino
Sabe quando a gente junta um monte de coisa, fica irritado e do nada explode? Não precisa de calmante nem maracujá, o vinho pode melhorar sua qualidade de vida.
Segundo a escola de medicina da Universidade de Boston, beber com moderação leva a resultados melhores em testes de habilidade, emoção, mobilidade (olha só que interessante) capacidade de entender na meia-idade… Seria isso paciência?

6. Calce os tênis de atleta
O resveratrol, a famosa substância saudável dos taninos, é a “whey protein” do coração, além de trazer um benefício a mais à pessoas com tendência a ter diabetes. Experimentos de laboratório da Universidade de Alberta, no Canadá, descobriram que duas taças de vinho por dia aumentam o colesterol bom e diminuem o ruim. Mas não basta beber e esperar suas glórias – para o efeito funcionar, é preciso se mexer, caminhar e fazer exercícios.
Mas, como o antioxidante faz tudo isso? Ele pode diminuir os níveis de açúcar no sangue e reduzir a pressão arterial. Mas a recomendação é aquela de sempre: duas taças por dia, nada mais, senão outros problemas piores podem surgir.

7. Não está enxergando?
Pois é, a idade vem chegando, e algumas coisas vão indo. A visão é uma delas. Começamos a usar óculos, apertar os olhos, ler de longe… Mas dá para fazer as marcas da idade chegarem um pouco mais tarde. De acordo com estudos do Departamento de Oftalmologia da Universidade de Udine, o vinho é a única (a única!) bebida capaz disso. Beber moderadamente por anos deixa mais lenta a degeneração da retina e ainda previne os riscos de cegueira.

8. Guarde na memória
Não se lembra da data de casamento, mas lembra direitinho o nome, safra e uva daquele vinho que adorou há anos atrás? Isso tem explicação. O vinho ajuda a preservar a memória mesmo na terceira idade. De acordo com o setor médico da Universidade do Arizona, isso acontece porque o vinho previne o sangue de coagular e reduz a inflamação dos vasos, ambos relacionados ao declínio de memória.

9. O remédio do dia seguinte
Quem gosta de vinho, gosta de comida, é fato. Quem gosta de comida, pelo menos uma vez na vida já sofreu com uma intoxicação alimentar, isso também é fato. A cura? Tomar sopinha, comer arroz com legumes, muita água… Tudo isso por muitos dias. Uma coisa que os médicos deveriam recomendar também é uma taça de vinho por dia – segundo um estudo da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Porto, ela praticamente mata a bactéria responsável pela intoxicação e deixa muito mais rápida a recuperação.

10. Aumenta o desejo e a satisfação sexual
Uma pesquisa publicada no The Journal of Sexual Medicine, realizada com 800 mulheres italianas, concluiu que quem consome duas taças de vinho por dia, apresenta aumento no nível de desejo e satisfação sexual. Isto acontece porque os compostos do vinho tinto aumentam o fluxo de sangue em áreas específicas do corpo.

FONTE: http://adegafamiliaferragut.com.br